Archive for 01/10/13 - 01/11/13

[Fanfiction] Shadow 11

Olá a todos! É chegada a hora para mais um capítulo intenso de Mastered Negima Shadow! O combate está no auge do perigo e a vida de Setsuna Sakurazaki está por um fio. E não é apenas ela que irá se ver diante do olhar assassino de Setsuna-P em mais essa parte decisiva da série Mastered Negima.

Sem mais delongas, vamos à porradaria, digo, ao texto!

Leitura Online (mediafire)




Aviso-legal: Mahou Sensei Negima não me pertence. Mastered Negima é uma obra de fã, sem fins lucrativos.
Mastered Negima Shadow
Capítulo 11: Soberania no Combate



Não havia tempo para sentir medo. Setsuna Sakurazaki tinha noção total de si e da fragilidade da sua vida naquele momento. Havia se colocado em pé com alguma dificuldade e pouco a pouco recobrava o controle sobre seus movimentos. Havia um ferimento grave no seu abdômen. Ainda que o choque inicial tivesse tirado-lhe toda a concentração ela agora já estava recuperada. Era uma guerreira treinada para suportar coisas muito piores. Também era uma mestiça e seu sangue uzoku era estimulado por aquele tipo de dor. Estava pronta para retomar a luta.
Uma rajada de vento forte fez o rosto de Setsuna-P ser parcialmente encoberto pelas suas mechas negras de cabelo. Esta piscou e deixou os fios voltarem ao lugar, sem pressa. Observou sua adversária erguer-se. Apesar de ter tido o impulso de atingí-la agora havia retomado a paciência para desfrutar do combate. Aquele golpe havia demonstrado sua vantagem imensa, era o prelúdio do seu domínio do confronto. A ex-shikigami adorava a ideia de poder brincar com a vida daquela pessoa.
Só que a brincadeira agora iria avançar para outro estágio. O da tortura.
Set-P avançou com a espada apontada para frente. Golpeou. Teve o movimento detido. Setsuna fez menção de contra-golpear, porém a Sombra não permitiria isto. Esquivou-se do contato e deslizou a espada pelo braço esquerdo da outra, abrindo um rasgo profundo do ombro até metade do antebraço.
Diferente da vez anterior, a shinmei não pareceu sequer sentir o dano causado. Afastou-se e avançou com uma técnica pesada, capaz de destruir mesmo montanhas com a espada.
Mas acontece que Setsuna-P não queria mais deixar dúvidas de que seria a vencedora. Não esquivou-se e deixou a lâmina de Yuunagi atingí-la no braço que segurava sua espada larga. O tecido negro da sua roupa foi rasgado, mas sua pele não. Na verdade ela sequer moveu diante do impacto destruidor. Sakurazaki tentou disfarçar a surpresa diante do efeito, mas foi pouco eficiente. Isso deu ainda mais confiança para a sombra vingativa.
Ódio e excitação pulsavam nas veias de Setsuna enquanto ela tentava contra-atacar as investidas furiosas de Set-P. Ainda que a vontade pura de matar estivesse gritando em si, ao mesmo tempo um tremor e sensação boa pareciam preencher o espaço vazio de pensamento no seu cérebro. Era seu instinto uzoku falando alto, divertindo-se com a adrenalina do confronto sem medida de consequência. Estava se jogando de peito aberto para a morte, sem hesitar. Suas defesas ainda bem acertadas não eram para proteger sua vida, mas tão somente para dar-lhe mais uma chance de tentar revidar. Desejava ver o sangue daquela pessoa que tanto odiava jorrar.
As sequências de golpes que se seguiram foram desferidos e repelidos todos de maneira perfeita, por ambos os lados. Porém para finalizar, Set-P esquivou-se com alta velocidade, indo parar nas costas da outra mulher, desferindo um golpe que poderia ter sido fatal.
Setsuna foi capaz de desviar, mas teve sua asa direita destroçada. A dor dessa vez a fez cambalear, mas ela permaneceu encarando o rosto sádico de Set-P.
Entretanto, a esta altura do duelo, a diferença de capadidade entre as guerreiras já era grande demais para manter um confronto equilibrado. Na investida seguinte Setsuna-P fez questão de destroçar a asa esquerda da Original de modo ainda mais violento. A guarda-costas deixou escapar um lamento de dor.
O golpe seguinte cortou o rosto de Sakurazaki, ferindo próximo aos olhos. O sangue e ardor dificultou que ela mantivesse o olhar na oponente, levando-a a ter o braço direito perfurado. Yuunagi foi atirada vários metros no ar quando Setsuna-P golpeou com o punho o toráx da primeira.
Setsuna caiu. Sem perder tempo a outra avançou chutou o corpo caído com toda a sua força. Os sons de fraturas foram audíveis. Set-P parou, sem fôlego, encarando do alto a figura praticamente sem vida sob si:
― Então é isso. Acabou. ― foi o que conseguiu pronunciar a ex-shikigami, dentro do seu momento de êxtase naquela dança fatal da batalha.
Setsuna-P saboreava sua soberania diante daquela mulher que tanto lhe despertara ódio. A vitória era sua e essa verdade fazia um tremor involuntário se espalhar pela espinha.
Sentia-se viva como nunca. Ainda que tivesse ganhado a benção da mortalidade a alguns meses, aquele era o primeiro momento em que ela tinha uma noção hiperrealista do ar entrando nos seus pulmões. Era a sensação de libertação que tanto anseiara. Esqueceu-se de tudo o que ainda teria que lutar e vencer para cumprir o total da sua vingança. Tudo o que precisava era acabar com a vida que um dia quizera possuir: iria matar Setsuna Sakurazaki, naquele local perdido.
Por um momento fugaz, aquela vida cujo único nome que já possuíra apenas para si fora "Pe", uma derivação da própria letra 'P' do alfabeto, pensou com alegria que logo poderia voltar para a mansão abandonada e rever o rosto sempre alegre do pequeno Odari. Aquela noite com certeza ela iria querer comer a ceia.
Mas foi nesse instante que seus sentidos aguçados pela energia dos amuletos perceberam que elas não estavam mais sozinhas naquele distante campo de batalha.


A busca de Negi e Konoka fora um ato quase desesperado. Durante vários minutos eles atravessaram os céus, em todo o arredor do trecho da ferrovia que já havia sido percorrido pelo trem. Buscavam um rastro que demorou a aparecer. Foram os sentidos super apurados da maga branca que detectaram as marcas do ki de Setsuna, o que fora a largada dos dois na direção de um distante morro de terra escura.
Os poucos minutos da travessia da paisagem de natureza pobre que separavam os dois magos do confronto entre Setsuna e sua sombra pareceram muitos longos. Já eram capazes de distinguir o ki de ambas as combatentes e mesmo perceber o desenrolar da luta. Este fator em especial era o que levava maior temor ao coração dos jovens, que temiam não chegar a tempo de impedir a tragédia.
Quando enfim atravessaram a barreira mais alta do morro, adentrando no espaço de planície escondido no meio daquela formação geológica, eles puderam ver que a sombra os encarava. Pousaram a cinco metros desta e também do corpo inerte de Setsuna Sakuzaraki:
― Set-chan. . . ― sussurrou Konoka Konoe, com toda a atenção voltada para a figura desolada da namorada, caída aos pés de sua algoz.
― Setsuna-P! Não vamos permitir que continue esse massacre. ― anúnciou Negi Springfield, tomando a frente da maga branca, já desabotoando a blusa e atirando-a a um canto, ficando vestido apenas com uma regata branca.
― Ora, ora. Então este combate não era realmente honrado? Ou talvez vocês estejam aqui de intrometidos. ― disse Set-P, caminhando na direção dos dois, lentamente. ― Estão tão ansiosos assim para morrer? Eu com certeza iria atrás de vocês quando terminasse aqui.
― Eu sou seu adversário agora, Setsuna-P! ― exclamou o professor-mago, assumindo posição de luta que aprendera no kung fu.
"Konoka" chamou o garoto através de comunicação mental. "Você precisa de algum tempo para realizar o preparo para a invocação de Círculo Azul, não é isso?"
"Sim, Negi. Por favor, leve ela para longe da Set-chan enquanto eu faço a preparação."
"Certo. Vou te dar todo o tempo que conseguir, Konoka. Se concentre apenas na invocação."
― Então, vocês tem algum plano ou apenas vieram para morrer mais cedo? ― questionou a sombra, parando a pouco mais de um metro de Negi.
O guerreiro-mago sabia que precisava agir rápido, surpreender a adversária para só assim conseguir atingí-la antes que ela conseguisse usar seu poder máximo.
Negi avançou num lampejo e acertou o lado da cabeça de Setsuna-P antes que ela conseguisse erguer o braço para bloquear. O impacto a atirou a mais de seis metros para o lado e ela precisou usar das asas para manter o equilíbrio. Sem esperar, o garoto avançou mais uma vez golpeou na altura da cintura, acertando de novo. Na sequência utilizou uma combinação de técnica marcial com magia elemental elétrica para chegar nas costas de Set-P com a velocidade de um raio.
Dessa vez usou uma explosão de raios como ataque, sendo efetivo. Setsuna-P foi lançada no ar e se afastou mais de dez metros, detendo-se ao abrir as asas negras para planar. A sombra virou-se e encarou perplexa o inimigo:
― Ainda que você tenha os amuletos, serei eu o vencedor! ― esbravejou o mago. ― Você é uma usuária de ki, Setsuna-P, sabe tanto quanto eu que não é capaz de usar nem metade da capacidade desse poder.
Set-P não respondeu às afirmações do rapaz. Ele estava correto, é claro, mas a ex-shikigami mantinha a certeza de que mesmo com essa limitação ela era superior. Mostraria a ele que tivera apenas sorte no início do combate.
Abriu as asas e se atirou na direção de Negi, que também avançou. Ambos golpearam, mas acertaram o ar, Set-P fez uma manobra aérea para conseguir virar-se o mais rápido o possível, apesar da sua velocidade. O garoto teve mais sorte no movimento, por ainda estar no solo e golpeou novamente, acertando em cheio a ex-shikigami, que foi arrastada e jogada contra o chão. Uma mágia destruidora de vento a atingiu em seguida, rasgando várias partes das mangas e hakama negros que trajava. Seu rosto se enxeu também de arranhões.


Entrementes, Konoka estava ajoelhada no gramado escasso que havia por ali, mãos unidas junto ao peito e olhos fechados. Seu coração martelava nas costelas enquanto ela fazia o máximo para continuar entoando em voz baixa o mantra inicial para a conjuração daquele feitiço de nível altíssimo.
Círculo Azul era o nome de um conjunto de magias criadas por um mago ainda na Idade Média. Feitiços e invocações tão poderosas que apenas pouquíssimos bruxos foram capazes de dominá-los ao longo dos séculos. A jovem havia descoberto aqueles conhecimentos enquanto pesquisava alguma magia que seria capaz de libertar as pessoas petrificadas da vila onde Negi crescera. Além de encontrar o que procurava, Konoka também descobrira um livro com instruções completas de todas as magias do antigo mestre.
Pouco a pouco ela conseguia sentir o calor da energia sendo concentrada sob seus dedos unidos. O som da batalha entre Negi e Setsuna-P chegava à sua consciência, atrasando ainda mais o processo já longo. Também a preocupação que circundava sua alma, quanto à sua namorada, era um fator que muito prejudicava. Era impossível para a curandeira ignorar. Em meio aos ritos ela também rezava para que Negi conseguisse lhe dar tempo o suficiente.


Depois de mais uma sequência de golpes trocados, Set-P estava no alto mais uma vez, encarando a figura de Negi Springfield, cinco metros abaixo de si. Havia acabado de levar mais um golpe do guerreiro mágico, mas ao invés de revidar, pareceu distrair-se com um pensamento que lhe veio a mente naquele momento.
E começou a gargalhar. Rir a plenos pulmões, ignorando a adversário que já havia se posicionado para mais um ataque:
― Como eu não percebi isso antes? ― riu-se Set-P, para a apreensão do garoto. E se ela tivesse percebido que ele só estava ganhando tempo para Konoka? ― Você pode ser até bastante rápido, sensei, mas tinha algo crucial escapando.
― Do que está falando, Setsuna-P? Eu vou vencer e você já deve ter sentido isso! ― blefou o mago, numa tentativa de provocação, porém a outra ainda manteve seu tom de divertimento.
― Vencer?! Você pode estar me acertando sim, Negi Springfield. Mas, sabe de uma coisa? Isso não está me infligindo nenhuma dor, ou ferimento! Não acha isso estranho?!
― . . . ― claro que o filho do Thousand Master havia percebido aquilo desde o primeiro momento. Ainda que seus golpes voassem direto contra o rosto ou membros da ex-shikigami e isto causasse um impacto enorme, a verdade é que em momento algum ele entrara em contato real com pele da mesma. Isso porque uma barreira de energia a envolvia de modo que impossilitava aquilo. Era o poder supremo de dois amuletos proibidos quando reunidos.
― Você não pode me fazer nenhum mal, Springfield! Eu só preciso encostar minha lâmina em você para que te veja virando picadinho!
Naquele instante, mais do que qualquer outro, Negi Springfield percebeu o tamanho do desafio que se estendia diante de seus olhos. O simples objetivo de ganhar tempo poderia se tornar um sacrifício total se, em um ato de descuido, ele fosse atingido pelos ataques assassinos de Setsuna-P.
"Eu vou sobreviver. Não vai ser esse o fim da minha jornada, pai!"

No Reino dos /U/nicórnios - semana 2

Olá a todos! E veja se não estamos de volta com a coluna estreiante do KaS: no Reino dos /u/nicórnios. A recepção do teste foi mais do que positiva, o que eu preciso demais agradecer a todos os leitores e, principalmente, comentaristas do KaS por estarem sempre presentes para contribuir com o blog. Obrigada, obrigada, obrigada!

E agora vamos para mais uma rodada de informações sobre o que está rolando nos papos sobre yuri mais recentes da internet. Algumas continuações do post passado, algumas coisas diferentes para incrementar. Go go!

Referências na data de 23/10/2013

Thread 1 - Madoka Magica [thread contínua]

Madokistas estão sempre ativos, e não seria diferente nesta semana. Vou deixar algumas das "expressões originais" que eles andam soltando.

Essa imagem acho que já é antiga, mas nada é antigo para Madohomu s2

Traço peculiar, mas Kyosaya é tradição, não importa nada mais

?!?!?! #hanaji

CD Drama... depois mangá. . . estou vendo vocês duas bem de perto, Mami e Kyouko!


Thread 2 - Kill la Kill [thread contínua]

A fama e repercussão de Kill la Kill está excendente qualquer imageboard, blogosfera, rede social. Já tem release em inglês de mini histórias yuris baseadas nas personagens da série. Fanarts às toneladas (cuidado com eles, como sempre!)

Sério que isso é um print?! XD

Artesanato.... sempre algo digno

Está esta, além de muito bem feita, provocante, não? Artista saidinho~

Uhulllll, já tem inglês no yuri-ism, fica a dica KaS

Delirei~

É Matoi..... tem coisas que não tem volta! XDDD


Thread 3 - Fiction and Fanfiction

E não é que os fanfics tem seu espaço entre os fãs de yuri?! Sim, essa thread está sempre sempre atualizando as produções mais populares em inglês e debatendo suas histórias. Isso me deixa bastante feliz, afinal os fanfics são uma expansão de universo das histórias que sempre pode trazer coisas ótimas.

Me pergunto se Mastered Negima teria alguns leitores a mais se estivesse em inglês...



Thread 4 - League of Lesbian

Eu não conheço o adorado game League of Legends, mas é incrível como surgem fanarts de casais entre as personagens femininas do game. Grande parte são ilustrações bem perigosas, é verdade, mas ainda ficam algumas bem bonitas para se apreciar.


Orelhas de gato?! Ok. . .

Prr~ Fssssss~



Essa achei muito divertida XD Nem sei os nomes, mas já me ganharam!

Aguardando os surtos da Doggy. Todos estamos com saudades deles, vamos concordar?

Thread 5 - Recent yuri releases

No 4chan existe uma thread de grande utilidade para quem acompanha o meio: Recent Yuri Releases. Ainda que boa parte do seu conteúdo seja indexado do Dynasty, o grande reader yuri em inglês, também outros pequenos releases isolados, mas igualmente interessantes para o meio são postados. Uma dica para quem quer manter-se atualizado.




A-Channel?! Eca! XDDD

Aliás, está rolando uma costumeira briga de tribos nessa thread. Isso já é algo bem comum, a disputa "/u/ vs /a/" onde o lado assumidamente /u/ acusa de hipocrisia e imbecilidade (para falar de um jeito bonitinho) o lado dos /a/ (os fãs de anime no geral), enquanto estes acusam de distorção, perversão e diversos outros apelidos não transcristos aqui para o bem de todos. Uma guerra de gostos que daria uma tese de doutorado na área de antropologia.

Thread 6 - Citrus

O mangá que mais está causando no "universo yuri" e que ainda não foi comentado no Kono-ai-Setsu (INCOMPETÊNCIA BATEU FORTE!): Citrus. Se vocês ainda não conhecem, recomendo muito que procurem. Particularmente eu mais tenho raiva do que amor por esse mangá, mas com certeza é uma das melhores (se não a melhor) obra em andamento do gênero.

E essa popularidade não poderia refletir em outra coisa: Citrus é assunto. Muita gente está debatendo sobre o conflito tenso de amor e ódio entre irmãs postiças. Não é pra menos, com um plot chamativo e uma tensão perigosa a cada situação nova o mangá está muito visado. Só pena ainda não encontrarmos fanarts e doujins da obra, uma questão de tempo ao meu ver.



*** FIM ***

E esse foi o segundo report do universo yuri feito para o público do Kono-ai-Setsu. Espero que tenham gostado e se atualizado sobre as novidades! Volto semana que vem!

[Fanfiction] Shadow 10

Olá a todos! Mastered Negima Shadow chegando em mais uma quarta-feira aqui no Kono-ai-Setsu! E dessa vez o tema é um: LUTA! Chegou a hora do confronto decisivo entre Setsuna Sakurazaki e sua cópia, Setsuna-P. Apenas uma das duas irá sair vitoriosa e, possivelmente, viva. Vamos acompanhar o início deste combate tão aguardado na série Mastered Negima!

Leitura Online (mediafire)



Aviso-legal: Mahou Sensei Negima não me pertence. Mastered Negima é uma obra de fã, sem fins lucrativos.
Mastered Negima Shadow
Capítulo 10: Criador versus Criatura



O sol acabara de chegar ao ponto mais alto do céu quando as duas figuras pousaram em uma planície que havia entre diversos morros de terra escura. Duas pessoas que em teoria deveriam ser idênticas, mas que na realidade eram a imagem da completa divergência.
Setsuna Sakurazaki tirou sua espada longa, Yuunagi, de dentro da bolsa especial que a portava e avançou a passos lentos em direção à sua opositora. Seu coração era tomado por um rancor intenso. As lembranças de todo o sofrimento que aquela outra pessoa lhe havia causado no passado voltavam enquanto a shinmei encarava os olhos que tinham o mesmo tom do seus próprios. Seu objetivo naquele local talvez fosse o mais funesto que já tivera para si: matar e apenas matar. Não havia outro caminho na mente da guarda-costas.
Setsuna-P não fez questão de sacar a espada larga que levava presa à cintura. Avançou de mãos limpas, peito aberto, com uma postura de confiança que refletia exatamente seu estado interno. O poder dos dois amuletos mágicos de tamanha força pulsavam próximos ao coração da guerreira. Uma energia tremenda que ela sabia ser mais do que o suficiente para efetivar parte de sua vingança. Ainda assim a ansiedade corria pelas artérias daquela pessoa que nascera de maneira artificial. Era o momento que esperara durante toda a sua curta vida humana. Era a sua libertação.
Quando estavam a uma distância de menos de dois metros as duas mulheres pararam de avançar, encarando-se quase sem piscar. Como se tivesse ensaiado uma dança começaram a andar em círculos, ao redor de um eixo invisível exatamente entre as duas:
― Você é tão corajosa quanto covarde, Setsuna Sakurazaki. ― disse Set-P, com um tom de provocação.
― É desse modo que guerreiros honrados resolvem suas diferenças. Apenas um contra o outro. ― rebateu a outra.
― Bom, pode ficar contente em saber que pelo menos uma vez você me ensinou alguma coisa boa.
― Eu nunca te ensinei a ser essa criatura sombria e vil, Setsuna-P.
― Claro, você me ensinou coisas muito melhores. Me ensinou o que é solidão, desprezo, angústia. De certo modo estes também serão sempre conhecimentos valiosos.
― Foi a sua ambição em ter uma vida que nunca lhe foi direto que criou toda essa trama nojenta. ― o repúdio era transparente na voz de Sakurazaki mais do que nunca.
― Pois eu acho, mestra, que foi toda a sua incompetência e presunção que te fizeram acreditar que poderia lidar com uma magia muito mais poderosa do que conseguiria.
― Magia poderosa, você se refere ao seu shikigami?
― Sim! Eu sempre estive muito além do que você poderia controlar, Setsuna Sakurazaki!
― Não seja imbecil! Se não fosse por mim você nem existia com esta forma e consciência! Você ainda seria um pedaço de papel antigo, guardado nos tesouros de um velho bruxo!
― Está tentando transformar seus erros em glórias, Sakurazaki?
Nesse momento as duas pararam de caminhar em círculos. Set-P sacou enfim sua lâmina que se tingia em parte do puro breu. Setsuna levou a mão ao cabo de Yuunagi, que continuava embainhada:
― Mas que bobagem. Eu sempre soube que não viria aqui para conversar. ― disse Setsuna.
― Se toda a sua esperança residia em conseguir me fazer sentir algum traço de culpa, pode já se considerar morta duas vezes. A primeira por essa idiotice, a segunda por tudo o que me fez de mal.
A viagem de trem até a cidade de Husdranis já estava na metade do percurso quando Negi, que estava sozinho no primeiro vagão de passageiros, foi abordado por Konoka. A expressão da maga fez o garoto perceber imediatamente que algo grave havia acontecido. Os dois foram para dois acentos mais afastados dos outros passageiros, para que a jovem lhe falasse:
― Eu. . . Não posso acreditar. ― disse o rapaz, com a expressão chocada. ― A Setsuna. . . Ela partiu sozinha?
― Sim. Eu pude sentir sua energia afastando-se do trem muito rápido.
― Ela com certeza foi desafiar a Setsuna-P. Droga. ― o garoto olhou para o lado de fora com a expressão contraída.
― É. ― a expressão de Konoka foi tão amargurada ao concordar com aquela única sílaba que Negi não quiz alongar aquele momento de silêncio que o seguiu.
― Nós. . . Nós ainda nem nos preparamos para lutar contra a Setsuna-P. O poder que ela tem por causa dos amuletos é gigantesca. ― disse o rapaz, angustiado.
― Negi, eu acho que sei o que fazer.
― Sabe? Algo que possa surtir efeito contra a Setsuna-P?
― Isso. É uma magia de exorcismo extremamente poderosa. Um círculo azul.
― Círculo Azul?! ― Negi exclamou alto devido à surpresa. Seus olhos se arregalaram e ele tentou se conter, enclinando o corpo e baixando o tom da fala. ― Mas essa família de feitiços é tão complexa e poderosa. Nunca conheci alguém que pudesse. . .
― Conhece sim. ― disse Konoka, encarando-o com veemência. ― Porém, essa é uma magia de contato.
― Você vai ter que enfrentá-la? Isso nunca! Nós estamos aqui para fazer isso, Konoka!
― Mas ainda assim eu preciso estar na batalha também. Preciso me aproximar dela até o ponto de conseguir o contato.
― Eu sei. Droga, isso é muito arriscado. Vamos reunir todos para poder traçar uma estratégia.
Negi se levantou e fez menção de correr pelo corredor para alcançar mais rápido os outros vagões, porém ele foi detido pela mão de Konoka, segurando a manga da sua camisa com força:
― Negi. Precisamos ir. Agora. Não há tempo.
― Mas. . .
― Cada minuto pode ser tarde demais. Nós ainda teremos que vasculhar por rastros.
O mago encarou a amiga. Os dois esqueceram completamente os outros passageiros, que os encaravam e cochichavam entre si. Negi entendeu:
― Ok, vamos. Eu posso manter contato com o Kamo por uma distância razoável, irei passar a instrução para que ele reuna todos e os avise.
― Certo.
E sem pensar em qualquer forma de discrição os dois magos simplesmente foram até a janela e saltaram para fora do trem em movimento. Muitos dos passageiros do vagão correram para as janelas para procurar os cadáveres, mas tudo o que avistaram foi dois vultos distantes, altos no céu, rumando para qualquer lugar que jamais poderiam imaginar.
O primeiro golpe daquele duelo mortal foi proferido por Setsuna-P. Um ataque reto e direto contra o coração de sua antiga mestra. Esta defendeu-se com precisão, sem sequer sacar Yuunagi da bainha. O impacto daquela investida fora muito maior do que o comum, o que fez Setsuna recuar alguns passos após o bloqueio.
Set-P a encarou e sorriu de leve antes de proferir o ataque seguinte. Uma sucessão de golpes rápidos e mortais que foram novamente bloqueados, dessa vez pela lâmina fina e longa da espada shinmei. Teria sido uma defesa perfeita se o último golpe da sequência não tivesse sido enjetado de uma descarga elétrica violenta. O efeito das duas espadas se chocando, somado ao poder do elemento adicionado pela ex-shikigami foi instantâneo. Yuunagi foi arrancada das mãos da sua portadora, indo cair alguns metros dali. Setsuna estava completamente aberta para um ataque.
E Set-P não deixou que essa chance escapasse. Num movimento veloz golpeou a adversária na altura do estômago. Porém, ao invés de perfurar ou cortar, o que acertou o corpo da Original foi a lateral da lâmina negra. A força foi tamanha que arremessou Setsuna a mais de cinco metros de distância.
A shinmei recuperou-se do golpe a tempo de evitar cair no chão, saltando de maneira acrobática e ficando em pé. A dor no corpo era pungente, mas ela não se rendeu a mesma, permanecendo com a postura firme.
A ex-shikigami pareceu se divertir com a situação. Setsuna estava distante da sua espada e havia sido golpeada. Apenas pela sua expressão de prazer, a espadachim originária entendeu que a outra iria tentar divertir-se com a vitória pouco a pouco.
Sakurazaki abriu suas asas brancas e deu um voo rasante em alta velocidade para apanhar Yuunagi, desviando por pouco de um golpe vertical de Set-P. Se ergueu dois metros no ar e aguardou. Com uma risada a sombra liberou suas asas negras e também subiu no ar, ficando no mesmo nível:
― Esta sendo muito mais divertido do que eu esperava, mestra. ― disse Set-P.
― Logo você não vai mais achar nada divertido, Setsuna-P. ― provocou a Setsuna original, ainda sem o fôlego recuperado do impacto que levara no abdômen.
― Acho que você ainda não entendeu qual é sua situação neste combate, Setsuna Sakurazaki. ― respondeu a sombra, alterando-se. ― Talvez seja hora de esclarecer isto, não é?
E sem dizer mais nada avançou como uma flecha, espada apontada novamente contra o coração da outra. Setsuna desviou-se do golpe, porém teve que segurar uma cotovelada que a outra proferiu contra seu rosto. Depois um chute e por fim outro corte. A shinmei decidiu que já bastava de apenas defender.
― Raimeiken! ― o golpe que fundia enegia elemental elétrica se chocou com a energia que Set-P utilizará no seu golpe, causando um clarão. As duas se desviaram e contra-atacaram simultâneamente. ― Ryurazan!
As duas lâminas se chocaram e as adversárias se afastaram novamente. A guarda-costas conseguia sentir na dor em seus braços a diferença no peso dos golpes entre uma e outra. Era clara a sua desvantagem, mas isso não tirava sua determinação em lutar até vencer.
A cada golpe trocado, porém, parecia ficar mais clara a diferença entre as habilidades atuais das adversárias. Setsuna-P tinha um sorriso sádico no rosto. Parecia deliciar-se com a crescente dificuldade da outra em defender-se.
Só que, em um momento de descuido, Set-P levou um corte profundo no lado esquerdo do rosto, quando desviou de maneira imperfeita de um ataque. Aquela falha pareceu despertar algo ainda mais sombrio na ex-shikigami que proferiu apenas duas palavras, numa voz sussurrada, antes de atacar:
― Já chega.
E o golpe seguinte foi tão ágil e poderoso que Setsuna não conseguiu sequer enxergar seu traçado antes de ter o abdômen atravessado pela lâmina agora completamente enegrecida. Tudo o que percebeu foi a dor lancinante, queimando por dentro. Seu corpo caiu ao chão e logo ela pode diferenciar uma poça de sangue embaixo de si. Fez seu esforço máximo para não perder os sentidos ali mesmo. Recobrou o pensamento e pode enxergar o rosto encoberto por sombras da adversária, pairando a alguns metros do solo:
― Vamos começar a verdadeira brincadeira.
quarta-feira, 23 de outubro de 2013
Posted by LKMazaki

No Reino dos /U/nicórnios

Olá a todos! Durante um delírio causado por alguma doença ainda desconhecida acabei tendo uma inspiração para o que poderia se tornar uma nova coluna do Kono-ai-Setsu. Eu definiria ela como um primo esquizofrênico do Week Gallery. Vou apresentar o texto, mas deixo enfatizado desde já que a opinião de vocês é muito importante desta vez, para sabermos se esse tipo de coluna é válida ou não aqui no blog. Vamos lá!

***

Vocês sabem o que está sendo mais comentado no mundo do yuri AGORA? Sim, isso mesmo, eu perguntei: "AGORA". Na internet a informação se propaga muito rápido e para um fandom que sobrevive em grande parte do trabalho dos próprios fãs (por exemplo, a quantidade de doujinshis novos é sempre muito superior a de mangás yuris novos para acompanhar!) a impressão de quem espera por notícias mais "sólidas" é que o yuri esta sempre um marasmo. 

Um ledo engano, eu digo! Por isso estou realizando este teste aqui no Kono-ai-Setsu. A proposta é a seguinte: trazer de maneira semanal (no máximo quinzenal) um resumo dos tópicos ou coisas que tem aparecido nos canais mais imediatos de troca de conteúdo yuri original e derivado (fanarts e doujinshis).

Será que alguém suspeitou do Tumblr e 4chan(especificamente o /u/)? Pois saibam que é isto mesmo! Vamos ver se essa loucura vai agradar alguém?

Alerta: está postagem terá um teor mais hardcore, no sentido de que vai abordar assuntos que rolam nesses meios onde todo o tipo de conteúdo aparece. Mas não irei entrar em nenhuma matéria realmente imprópria, podem ler com tranquilidade.

No Reino dos /U/nicórnios [edição de teste!]

Assuntos diferentes são o que não falta nesse reino colorido do yuri (ou /u/, como posso me referir muitas vezes). Essa postagem se tornaria infinita se eu fosse tentar falar de todos os tópicos que estão sendo bombardeados hoje, ontem, amanhã, depois de amanhã. . . Então, vou colocar umas limitações para não nos perdermos:
  • Falar sobre no máximo 2 tópicos que já são de circulação no meio yuri a bastante tempo. Normalmente estes possuem threads contínuas no /u/, sempre com discussões novas.
  • Falar sobre no máximo 2 tópicos que surgiram a pouco ou pouquíssimo tempo. Alguns com cara de que só apareceram agora e logo sumirão, outros com cara de que vão acompanhar as conversar do /u/ por um tempo.
  • A janela a qual essa postagem se refere é de até 5 dias anteriores à data de publicação desta postagem. 
  • Se o texto for bem aceito, as postagens seguintes vão vir dando tanto continuidade os tópicos mostrados como falando do que apareceu de novo.


Certo? Vamos lá!

Referências à madrugada de 17/10/2013, horário brasileiro.

Thread 1 - Madoka Magica

Desde sua exibição, Madoka Magica vem se mantendo constante de maneira permanente no /u/. Desde 2011, não houve um período sequer onde não houvesse uma, ou várias threads discutindo Madoka Magica. Tamanha força que logo surgiu o Walpurgischan, um 4chan só do assunto! E não pensem vocês que as discussões esfriaram no tempo em que não houve anime ou filmes: os fanarts são diariamente atualizados nos debates. Como já é tendência, às vezes o tumblr consegue ser ainda mais veloz do que o /u/, que acaba pegando sua fonte destes.

Com a proximidade do filme, fanarts e discussões sobre todas as informações que os trailers do último filme explodem diariamente no canal:

Capa da thread mais recente em 17/10/2013, no /u/

Fiquem aí com alguns dos fanarts que consegui pegar do tópico. Para os curiosos, tem alguns Homura X Sayaka que apareceram lá que não deu pra colocar no Kono-ai-Setsu. (!!!)




Essa daqui achei lindíssima!


Algumas informações de extrema importância para os fanáticos está sempre no cabeçalho da thread:

em 17/10/2013:




Um fandom realmente dedicado dentro do yuri, vamos combinar.

Thread 2 - Attack on Lesbian

Oh sim, você acabou de ler este título de discussão sim! Shingeki no Kyojin fez explodir uma quantidade gigantesca de material de fãs em todos os canais possíveis. Seja 4chan, danbooru, pixiv ou tumblr. Materiais para todos os sub-tipos de fandom estão presentes. Se isso já não fosse o bastante a ajuda da própria série intensifica ainda mais esse fenômeno dentro do /u/ (o assunto já foi comentado no texto sobre o fenômeno Ymir x Christa, aqui no KaS).




Coisas que o pessoal do tumblr traz já traduzido de lugares como o Danbooru



Thread 3 - Kill la Kill

Mal começou a ser exibido e Kill la Kill já caiu no gosto dos /u/nicórnios. O fato do elenco ser todo feminino com certeza ajudou, mas as personalidade tão características de todo deu um impacto ainda maior. Fanarts até bem produzidos já são vistos e o tópico principal de discussão é: qual o melhor ship? Ryuko/Mako ou Ryuko/Satsuki? Também aparecem outro alternativo. Bom, a criatividade é o que impera enquanto ainda nem se sabe direito para onde o enredo vai caminhar!

Nota: Na data desta postagem provavelmente está acontecendo uma nova enxurrada de imagens e gifs, graças a mais um episódio semanal se difundindo.






Thread 4 - Sakura Trick

Este tópico em especial está sendo, aos meus olhos, o mais adocicado (ainda que sempre discutido) de todos os anteriores. Sakura Trick tem um casal que realmente troca beijos em todos os capítulos do mangá e o anime está cada vez mais próximo. Alguém ali disse que será um anime ao estilo de episódios de cinco minutos, mas sabem, nunca confie 100% no que se diz no 4chan.

De qualquer modo, enquanto aguardam uma tradução para inglês mais veloz, o fandom já disponibilizou para todos o RAW do segundo volume completo, para tentar tirar impressões mesmo sem compreender as falas das personagens. E além disso, as imagens promocionais do mangá/anime, por si só, já são uma alegria.





THE END

E então, será que o "No Reino dos /U/" será aprovado pela audiência KaS? . Ainda tem muitas coisas interessantes que rolam no mundo yurista de maneira instantânea e temporal para trazer ao KaS, espero ter essa oportunidade. Fico no aguardo do feedback de vocês para que, possivelmente, voltar com esse giro de novidades na semana que vem. Até lá!
quinta-feira, 17 de outubro de 2013
Posted by LKMazaki

[Fanfiction] Shadow 9

Olá a todos! Sem atraso e também sem enrolação vamos continuar acompanhando a saga de Mastered Negima: Shadow, fansérie atual do blog. 

Aliás, durante esse tempo da publicação estão já pensando o que farei a seguir para o KaS. São muitas opções, todas bem trabalhosas. Desde prosseguir para o próximo arco de Mastered Negima, passando por uma série original, bem ao estilo de light novel mesmo, com ilustrações, até um projeto de quadrinho (retomar o projeto da equipe, algo novo, tanto faz). 

Mas isso é algo para ocupar minha cabeça, não a de vocês. Vamos ao texto ;D

Leitura Online (mediafire)



Aviso-legal: Mahou Sensei Negima não me pertence. Mastered Negima é uma obra de fã, sem fins lucrativos.
Mastered Negima Shadow
Capítulo 9: Em direção do céu


Odari era um menino de oito anos, orfão e esquecido pelos parentes. Ele vivia em uma construção antiga, abandonada a quase um século, algo mais comum do que se esperaria na cidade-capital do país de Husdeven. A torre da antiga mansão era sua parte favorita do lugar, pois dali ele tinha visão privilegiada do subúrbio da capital. Mesmo naquele dia chuvoso o garoto havia escolhido o local para preparar a refeição até bastante generosa para um abandonado. Uma quantidade de sopa e pão para alimentar duas pessoas.
O garoto mexia o conteúdo da panela amassada onde preparava o alimento quando ouviu um som vindo do outro lado da torre. Um farvalhar de asas forte. Aquele ruído lhe ela familiar, o que o fez erguer-se com um sorriso. Deixou o preparo da comida de lado e correu em direção à porta:
― Pe-san! Pe-san! É você aí?! ― perguntou o menino sardendo adentrando no outro cômodo apressado. O sorriso do garoto se tornou ainda maior quando a figura ergueu-se e o encarou.
― Está na torre novamente, Odari. ― disse a ex-shikigami, Setsuna-P, ao pequeno à sua frente.
― Sim, Pe-san! Estava preparando nosso almoço enquanto você estava fora!
― Você sabe que eu não preciso comer, Odari. Esses amuletos me dão toda a energia que necessito para sobreviver, e muito mais.
― Eu sei disso! Mas comer é divertido, ainda mais quando comemos junto a pessoas que gostamos.
A sombra encarou a criança à sua frente. O menino sorria com toda a sinceridade do mundo e mesmo a alma perturbada da espadachim sombria ficou mais aquecida:
― Olha só pra você, Pe-san! Está ensopada! Porque saiu nessa chuva?
― Alguém havia me chamado. Não podia deixar de responder. ― disse a ex-shikigami, encarando as torrentes de água que lavavam os telhados dos edifícios próximos. Mesmo o menino inocente era capaz de enxergar a clara expressão desanimada da mulher.
― Ei, Pe-san, eu não gosto quando sai assim de repente. Fico com medo de que não volte. ― disse Odari, segurando um pedaço do tecido enxarcado das roupas negras que Setsuna-P trajava. Esta encarou-o de volta ao perceber o leve puxão.
― Daquela vez eu estava procurando por informações importantes, Odari. Era preciso.
― Mas eu não quero que você vá embora. É minha única amiga.
A jovem encarou o garoto que lhe sorria. Ele dizia a verdade sempre de um modo muito direto e natural. Apesar ser um comportamento corriqueiro seu, a ex-shikigami não deixava de se admirar de tal em algumas ocasiões. Sem dizer nada, Setsuna-P afagou o alto da cabeça do pequeno Odari e se dirigiu para fora da sala. Para a alegria ainda maior do menino, ela adentrou em seguida no cômodo vizinho, onde o almoço estava cozinhando.
Os dois tiveram uma refeição quente e apetitosa. O garoto falava quase sem parar, contando sobre os seus conhecidos da rua. Algumas pessoas de coração bondoso que não o escurraçavam sempre que o viam. Ele sabia muito sobre a vida das pessoas da vizinhança, isso porque passava boa parte dos dias andando pelos arredores, em busca de algum pequeno serviço que pudesse fazer em troca de moedas.
Setsuna-P, ou apenas "Pe" para Odari, não respondia nada durante toda a conversa. Comia quieta, observando o monólogo excitado do outro. Sabia que apenas estar ali, ouvindo sem muita atenção, era tudo o que Odari desejaria dela. Mesmo já tendo passado alguns meses desde que haviam se conhecido, a espadachim sentia que ainda devia aquilo a ele.
Na época em que a guerreira recobrara a vida, graças aos amuletos outrora de Delaro Igati, Pe passou por um período de grande confusão mental. Não compreendia onde estava ou mesmo o que ela era. Tinha alguns lapsos de sua memória anterior, na época que estivera em Mahora, mas estes pensamentos só lhe traziam mais confusão. Fora o menino abandonado, Odari, quem se dispusera a abrigar e cuidar dela até que se recuperasse.
Graças ao convívio tranquilo e amigável com Odari, Pe retomou sua consciência à normalidade. Ainda que a paz de morar naquele prédio antigo não tivesse sido capaz de extinguir todo o ódio da criatura que ganhara uma vida real, fora um conforto grande. Mesmo sabendo que não iria permanecer ali para sempre, Pe fazia questão de agradecer ao pequeno orfão da melhor maneira possível, através da sua companhia:
― Ei, Pe, você não devia ficar triste desse jeito. Você é muito bonita para ficar assim. ― disse Odari, despertando a atenção real da guerreira.
― Porque acha que estou triste? Talvez eu esteja na verdade com muita raiva.
― Bom, não é o que parece.
Setsuna-P abriu a boca para desmentir mais uma vez Odari, porém algo chamou a atenção de seus sentidos amplificados pela magia e ela congelou, de boca aberta. Depois de um instante ela fechou a boca e franziu a testa:
― Ué, que foi? ― perguntou o menino, vendo a estranha ação da outra.
― É que. . . Aparentemente tem mais alguém me chamando.
― Você já vai sair de novo?
― Não. Está no andar de baixo. Vou lá ver o que deseja.
― Tá bem. . .
Setsuna-P desceu sem pressa as largas escadarias da mansão fantasma. De fato encontrou alguém que a aguardava no hall de entrada. Seu sorriso maldoso tomou seu rosto ao ver aquela figura:
― Ora, ora. Mas faz mesmo muito tempo que não nos encontramos, não é mesmo, minha ex-colega de trabalho?
A noite daquele dia de tempestade não poderia ter sido mais diversa da anterior. A Ala Alba aproveitou a alegria de ter Asuna e Haruna de volta para fazer uma comemoração à altura. Dessa vez os jogadores de carteado noturno ficaram desconcentrados de suas partidas graças à barulheira e risadas do grupo.
Parecia mesmo que todos haviam feito um pacto silencioso para que naquela noite não se comentasse sobre os problemas que ainda teriam que ser enfrentados. Aproveitavam como se estivessem de férias, contando piadas e tentando jogar cartas, apesar da bagunça. A certa altura tiveram que vendar Haruna para que ela parasse de espiar as cartas de Nodoka antes mesmo de conseguirem iniciar uma partida de pifpaf.
Mesmo Konoka e Setsuna estava no clima alegre do grupo. Talvez bem mais silenciosas do que os outros, mas mesmo assim não deixaram quaisquer sentimentos negativos transparecerem. Não queriam estragar a noite de relaxamento dos amigos e também desejavam ter por algum tempo uma sensação de tranquilidade. Ainda que soubessem ser falsa.
Na manhã do dia seguinte a Ala Alba tomou a decisão que pareceu ser a mais primordial naquele momento: sair da capital de Husdeven. Precisavam evitar que Delaro Igati os atingesse, afinal tinham um problema muito maior do que a raiva da governante para lidar naquele momento.
O grupo tinha a noção de que, em um momento ou outro, Setsuna-P iria surgir para enfrentá-los. A única coisa que julgaram ser possível fazer foi escolher melhor qual poderia ser o campo de batalha. E assim a Ala Alba embarcou em um trem rumo à Husdranis, uma cidade bem menor, a uma distância de metade de um dia de trem, da capital. Com o sol de volta como soberano nos céus a partida se deu de maneira tranquila.
Logo que a locomotiva começou a se mover, Negi avistou Vosk, o porta-voz da oposição política de Delaro Igati. O professor-mago sugeriu a todos que se espalhassem pela dúzia de vagões do trêm, para quem pudessem evitar que ações tanto do governo como do seus opostitores atingissem o grupo inteiro. Assim sendo as duplas foram se dispersando.
O casal konosetsu acabou indo para o penúltimo vagão, que estava bem mais vazio do que os outros. Sentaram-se e um silêncio incomodo se instalou entre as duas:
― Set-chan. ― chamou Konoka, que estava por demais incomodada com a falta de diálogo. ― Você está planejando alguma coisa, não está?
― Porque diz isso, Kono-chan? ― questionou Setsuna, encarando o rosto da maga branca, que estava virado para a paisagem vista passando rápido pela janela.
― Sempre que você se fecha pra mim eu sei que vai querer fazer alguma coisa egoísta.
― Egoísta? Querer o seu bem é egoismo? ― questionou Sakurazaki, levemente irritada. Dessa vez Konoka virou o rosto para encará-la, também com uma certa exasperação.
― Nunca pensar nos sentimentos dos outros é egoismo sim.
― Mas como pode dizer isso, Kono-chan?! ― o escândalo era transparente no rosto da guerreira.
― Você sempre age por si mesma e não se preocupe se vou sofrer pelos riscos que você tenta sempre assumir sozinha. Set-chan, eu já falei com você sobre essa mania.
Em um primeiro momento Setsuna não soube como responder a todas aquelas acusações. Estava respirando forte. Olhou para os lados para se certificar que não haviam passageiros nos acentos mais próximos, que pudessem escutar suas vozes ligeiramente exaltadas:
― Tudo o que eu sempre faço é pensando em você, Kono-chan! Como tem coragem de dizer isso agora?!
― Estou dizendo isso porque estou vendo nos seus olhos que vai fazer isso mais uma vez. Mesmo que eu diga que juntas podemos deter Setsuna-P, você não vai me ouvir! Eu sei disso! ― o rosto de Konoka estava vermelho e ela tinha os olhos úmidos. Estava furiosa. Sacudiria a namorada se pudesse, para que ela acordasse da bobagem que estava com certeza prestes a fazer.
― Se sabe, então porque ainda tenta me fazer mudar de opinião? ― Setsuna realmente não pensou nas próprias palavras antes de dizê-las e imediatamente percebeu a besteira. Só que era tarde demais.
No instante seguinte um tapa seco acertou o lado direito do rosto da shinmei, virando-o. Setsuna olhou de volta, com choque, a tempo de ver toda a fúria e lágrimas no rosto da namorada. Konoka se levantou e passou por ela com certa grosseria, saindo sem dizer mais nenhuma palavra.
A meio-uzoku sentiu-se a pior pessoa do mundo. Várias pessoas a observavam. O som do tapa havia sido alto o bastante para despertar a atenção. A espadachim se levantou e saiu na porta contrária a de Konoka, rumando para o último vagão do trem. Podia sentir o calor na bochecha em que fora acertada. Remorso e raiva se misturavam no peito da jovem.
Porém Setsuna não iria mudar seus planos por causa daquele acontecimento. Ainda que ferisse novamente o coração de Konoka com a preocupação, a guerreira já havia tomado sua decisão.
Ela atravessou todo o último vagão e saiu para a pequena varanda metálica na ponta final do trem. O vento forte fez Setsuna segurar a franja para não lhe tapar a visão do céu limpo. Ao fundo viu um morro de terra mais escura que reconheceu por já tê-lo observado na chegada à capital. Era a hora.
Aprumou a bolsa especial que compotava Yuunagi, pendurava ao seu ombro e deixou suas asas aparecerem. Sem olhar para trás ou pensar mais uma vez na expressão magoada de Konoka, alçou voo.
― Você vai sair, Pe-san? ― perguntou Odari, que veio correndo para o meio do pátio tomado por mato da mansão abandonada. Ali estava Setsuna-P, com as asas abertas e pronta para o voo.
― Sim, Odari. Parece que enfim poderei resolver boa parte dos meus problemas.
― Mas Pe-san, não é perigoso?
― Não muito. Afinal eu tenho esse poder imenso dos amuletos. Devo resolver tudo com muita facilidade.
― Pe-san, você precisa mesmo ir? Porque não esquece esses problemas e fica em casa?
"Casa". Setsuna-P encarou o menino ao seu lado. Ela nunca considerara aquela mansão velha e suja como sua casa, mas pareciam que havia se tornado sim seu lar na companhia do orfão ordinário. Por um instante o questionamento sobre o que faria após a sua vingança veio à sua mente. Não fazia ideia do que era uma vida e isso a assustou. Sacudiu a cabeça para espantar essas sensações:
― Não tenho escolha, Odari. Eu tenho uma maldição que não me permite ser mais nada enquanto não apagar o passado que me prende.
― Eu não entendo, Pe-san.
― Eu sei que não, Odari. Mas confie em mim. ― disse Pe, virando o rosto para observar o céu azul e limpo acima de suas cabeças. ― Se eu não voltar, espero que não fique magoado.
― Mas volte mesmo assim, Pe-san!
― Não vou prometer.
E tendo dito isso, Setsuna-P subiu aos céus com grande velocidade. Rumou para o sul, para o confronto definitivo que lhe abriria as portas para uma nova vida.
quarta-feira, 16 de outubro de 2013
Posted by LKMazaki

[Fanfiction] Shadow 8

Olá a todos! Mazaki de volta pontualmente para trazer a sequência de Mastered Negima: Shadow. Como sempre, aventuras e emoções aguardam os membros da Ala Alba, especialmente Setsuna Sakurazaki, que está diante do medo do confronto com sua própria sombra encarnada, Setsuna-P.

Leitura Online (mediafire)



Aviso-legal: Mahou Sensei Negima não me pertence. Mastered Negima é uma obra de fã, sem fins lucrativos.
Mastered Negima Shadow
Capítulo 8: O Resgate


As poucas estrelas que eram visíveis pela pequenina abertura na grossa parede de pedra, apelidada de janela, foram encobertas por pesadas nuvens de chuva. Janela era bondade para o que parecia mais uma pequena entrada de esgoto, quase inteira tomada por grades. A única passagem de ar fresco na escura e úmida cela onde Asuna e Haruna estava presas desde a tarde daquele dia.
As duas haviam sido alimentadas com pedaços duros de pão a algum tempo e a ruiva já sentia os efeitos da nutrição muito inferior a qual estava acostumada. Permanecia atirada sobre a fina camada de palha que havia sido designada como uma das camas da cela. Pouco falava:
― Ei, Asuna, você está mesmo mal assim? ― perguntou Haruna, sentada com as pernas cruzadas sobre a sua própria "cama".
― Tô fraca e com fome, Paru. Se não se cuidar vou acabar confundindo você com um peru assado. ― respondeu a ruiva, erguendo o braço no ar com esforço.
― Nossa, eu não consigo imaginar nem a Konoka nem a Setsuna falando algo tão lésbico assim, Asuna.
― Ora sua. . .
Um som metálico vindo do corredor de pedra que levava até a cela fez as prisioneiras se calarem, apurando a audição para qualquer outro som. Porém o silêncio foi a única resposta das garotas, pontuado por alguma goteira muito distante:
― Será que nunca o pessoal vai nos tirar aqui? ― choramingou a mangaká, ansiosa.
― Não seja idiota. Provavelmente virão só durante o dia. ― disse Asuna. A ruiva também não ficava feliz com isso, mas sabia que era a realidade.
― Mas tiveram tanto tempo, ainda durante a tarde, para voltar.
― Espero que isso não signifique que deu alguma coisa errada.
Um silêncio temeroso se instalou entre as duas aprisionadas. O mesmo só foi quebrado quando Haruna resolveu mudar o foco da conversa:
― Se ao menos eles tivessem deixado alguma lapís e papel por aqui. Eu poderia me distrair rabiscando algum yaoi.
― Eles devem achar que você usaria isso para fugir.
― É claro. Quem sabe eu possa serrar essas barras de ferro com uma folha de papel úmido. Ou que sabe fazer uma rebelião armada de um lapís de ponta quebrada!
Asuna deu uma risada rouca do deboche da outra. Haruna também acabou dando risadas da própria bobagem:
― Se tivesse lapís e papel provavelmente eu já os teria comido.
― Caramba, Asuna, assim não vou confiar em dormir aqui. Vai que amanheço desvirginada.
― Idiota.
― Bela porcaria!
Negi, Kamo, Setsuna, Kotarô e Kuu Fei avançavam saltando pelos telhados da capital de Husdeven, rumo ao palácio de Delaro Igati. A tempestade era tamanha que às vezes algum deles acaba por quase acidentar-se ao errar um salto entre as construções. Não conversavam muito até que Kotarô acabou estravazando sua frustração sonoramente:
― Bela porcaria! Espero não me afogar antes de chegarmos ao palácio!
― Calma, Kotarô. Ele já está lá adiante. ― ponderou Negi, que cobria o rosto com o capuz do casaco sem mangas que vestia. O professor sentia-se sortudo por só precisar dos óculos para ler, pois os mesmos estavam completamente borrados de água.
― Não palecem ter colocado mais ploteções nem nos mulos do palácio. São uns bobões. ― comentou Kuu Fei, quando o grupo finalmente pousou no telhado aberto de um prédio próximo à pequena praça à frente dos portões da residência da governante de Husdeven.
― Mais uma tentativa de disfarçar a crise, mana Kuu. ― disse Kamo.
Negi conjurou uma magia invisível de proteção sobre a cabeça do grupo para que tivessem alguma folga dos golpes gelados da chuva. Espiaram os muros e jardins do palácio por cima do parapeito daquele terraço:
― Seria bom poder saber se as duas realmente estão lá. E onde. ― disse Negi, vasculhando todos os cantos que conseguia ver.
― Eu posso mandar meus inugamis investigarem. ― sugeriu Kotarô.
― Acho que uma matilha não é a melhor forma de espionar. ― admitiu Kuu Fei, imaginando a cena.
― Eu vou usar a Chibi Setsuna, então. ― disse a shinmei.
― Ótimo, Setsuna-san. A Chibi Setsuna pode ser frágil, mas é muito útil para isto.
― E confiável. ― acrescentou Kotarô.
Ignorando o comentário do outro hanyou, Setsuna retirou do bolso interno do leve casaco que trajava a dobradura referente à sua shikigami mais antiga e fiel. Em um instante, Chibi Setsuna surgiu flutuando à frente da espadachim:
― Chibi Setsuna. Preciso que faça algo muito importante para mim.
― Sim, senhora! Estou aqui para ajudá-la. Mas. . . ― os olhos grandes e redondos da invocação pareceram demonstrar alguma preocupação. ― Está tudo bem, mestra? Sinto seu ki um pouco perturbado.
― Não é nada. Agora me escute com atenção.
Setsuna passou as instruções para a pequena com rapidez e logo o grupo assistiu a mesma desaparecer em meio às pesadas gotas de chuva, indo em direção ao palácio. Então sentaram-se escondidos pelo parapeito, aguardando:
― O que me deixa realmente tenso nessa parada é pensar que aquela maluca pode aparecer a qualquer momento. ― comentou Kotarô, depois de um certo tempo do grupo ter permanecido calado. ― Ela tem dois daqueles amuletos, não sei se temos como lidar com isso.
― Não adianta ficar pensando nisso agora, Kotarô. Vamos primeiro resgatar as garotas para então ver o que será feito. ― disse Negi. O mago parecia incomodado com a indelicadeza do amigo em tocar num assunto difícil especialmente para uma das pessoas presentes.
― Ah cara, eu sei disso né. Mas aquela coisa não tá de brincadeira. Ela quer nossas cabeças empalhadas!
Setsuna permaneceu completamente alheia ao debate. Metade dos seus sentidos estavam acompanhando a evolução da busca de Chibi Setsuna pelos jardins de Delaro Igati. Outra metade estava tentando não pensar sobre aquela situação tão incômoda que aparecera em sua vida no dia anterior:
― Ela encontrou! ― exclamou a shinmei, repentinamente, espantando os amigos.
― Encontrou?! Onde?! ― questionou Kotarô.
― Isso só da pra saber quando ela chegar aqui. Não tenho como pegar os detalhes.
O grupo esperou vários minutos até que enfim a pequena shikigami retornou para o abrigo mágico, para então explicar os detalhes da sua investigação:
― Mestra, as duas garotas estão bem. ― disse Chibi Setsuna, iniciando seu relatório. ― A cela delas tem uma pequena abertura para o jardim, na parte de trás do palácio. Existem muitos soldados próximos ao local, mas não há sinais de qualquer barreira ou proteções mágicas.
― Os caras realmente não majam nada de magia. ― disse Kotarô, falando o óbvio.
― Essa é uma grande sorte nossa. ― comentou Negi.
― Fez um ótimo trabalho, Chibi Setsuna, já pode descansar.
― Muito obrigada, mestra! Espero que você melhore logo. Tchau gente! ― despediu-se a pequena shikigami, retornando à sua forma de papel.
― Certo. Vamos para a parte de trás do palácio, sem que eles percebam. ― disse o líder da Ala Alba e o grupo partiu.
Na parte de trás do palácio de governo de Husdeven não havia nenhum edifício que fosse mais alto do que o muro, o que fez o grupo se refugiar entre duas casas abandonadas que haviam ali:
― Qual o plano, então? ― perguntou Kuu Fei, parecendo ansiosa para o momento da invasão.
― É simples: eu e você acabamos com os soldados, Kuu Fei. Negi e Setsuna tiram as garotas de lá de dentro. ― disse Kotarô, sem dar nem tempo para que o professor-mago se pronunciasse.
― Ótimo! Quelo mesmo é lutar!
― Tsc. Bom, Setsuna. Precisamos ter alguma ideia específica para pode entrar.
― Que tal, professor: você utiliza um ataque pesado para poder abrir um buraco na parede, onde há a pequena abertura, e eu tento tirar as duas lá de dentro voando?
― É uma ideia muito boa! ― disse Kotarô, animado.
― Fica quieto um minuto, guri! ― reclamou Kamo, visivelmente constrariado com as intromissões do meio-kuzoku.
― Foi mal!
― Certo. Então está combinado. Vamos todos ao meu sinal: 3, 2, 1. . .JÁ!
A ação teve início de maneira sincronizada. Quatro vultos saltaram por cima dos muros da parte de trás do palácio do governo de Husdeven, lar atual de Delaro Igati. A chuva torrencial não havia diminuído de intensidade, o que tornou a reação dos soldados um tanto mais atrapalhada e lenta do que normalmente teria sido. A altura em que os primeiros alcançaram o cordão defensivo de Kotarô e Kuu Fei, Negi já havia alertado do seu ataque e avançava contra a parede de pedra que cercava a pequena abertura da prisão.
O estrondo foi enorme foi enorme. Pedra e poeira voaram para todos os lados. Dentro da cela, Asuna e Haruna esconderam a cabeça com os braços para não serem acertadas pelos destroços. A ação estava se desenvolvendo perfeitamente. No momento em que Setsuna saltou para dentro do buraco aberto, Negi já havia se juntado a Kotarô e Kuu Fei para deter a enorme quantidade de soldados de Delaro Igati que avançava contra o grupo. A shinmei aterrisou com exatidão mesmo sob o chão tomado de pedras:
― Garotas, segurem nos meus braços. Vou tirar nós três daqui de uma só vez.
― Setsuna! Graças a Deus. Eu seria capaz de te beijar te tanta felicidade! ― exclamou Asuna, correndo para segurar no braço direito da amiga.
― Dá um tempo desses ataques de lesbianismo aí, Asuna! ― retrucou Haruna, segurando o braço esquerdo da espadachim com toda a força.
― Vamos lá. Eu só posso fazer isso uma vez, então espero que dê certo. ― disse Setsuna, abrindo e esticando suas asas de penas totalmente brancas.
A meio-uzoku esticou as asas ao máximo e depois fez um movimento de impulso reunindo uma enorme quantidade de ki para a ação. As três garotas alçaram voo, subindo mais de quatro metros no ar, para depois pousar com pouca delicadeza sobre o gramado exarcado do palácio. Setsuna não conseguiu se equilibrar após ser solta por Asuna e Haruna, caindo sentada por um momento:
― Maravilha! ― berrou Kotarô, após derrubar mais um soldado. ― Sejam bem vindas de volta, garotas!
― Não temos tempo para conversar agora, pessoal, vamos sair daqui logo! ― exclamou Negi, atirando magias de ar para ambos os lados, detendo o avanço de dois pequenos batalhões vindos das laterais do palácio.
― Eu te levo, Asuna! ― exclamou Kuu Fei, colocando a ruiva no colo sem nem perguntar. A chinesa saltou por cima do muro do palácio com facilidade.
― Ok, eu também! ― disse Kotarô, segurando e levando Paru consigo para o outro lado.
― Setsuna-san, você está bem? Precisamos ir agora! ― perguntou Negi, vendo a aparente dificuldade da shinmei em se levantar.
― Estou bem sim, sensei. Perdoe minha leve distração. ― disse Setsuna, saltando para o muro do palácio, sendo seguida pelo professor-mago.
Depois do grupo reunido do lado de fora, o processo de escapatório foi até mais fácil do que no dia anterior. Devido a tempestade os soldados não foram capazes de acompanhar a velocidade da Ala Alba, que logo estava segura, no alto de uma torre de aspecto antigo:
― Gente, valeu mesmo. Eu já estava desesperada naquele buraco. ― disse Haruna.
― Desculpem, garotas. Foi culpa minha vocês terem sido capturadas. Eu ainda preciso melhorar muito como líder da Ala Alba. ― disse Negi, passando a mão pelos cabelos na tentativa inútil de livrá-los da água.
― Não precisa ficar tão preocupado assim, moleque. Só nunca mais me deixe ficar presa tanto tempo em um lugar sem comida decente. ― disse Asuna, com um sorriso cansado.
― Eu já estava acreditando mesmo que ia me tornar vítima de canibalismo, professor. Foi assustador. ― debochou Haruna e o grupo deu algumas risadas da reação irritada da ruiva. Todos menos Setsuna.
A espadachim estava sentada em um canto um pouco afastado dos amigos. Observava a cidade sendo golpeada pela chuva incessante. Seus pensamentos estava distante daquele momento de alegria pelo resgate das amigas. A sombra que ainda vagava lá fora estava atormentando o coração da meio-uzoku, não deixando espaço nem para aquele momento de relaxamento.
O grupo havia tido uma vitória, com certeza. Porém a verdadeira batalha ainda estava por acontecer, a qualquer momento. Uma nuvem de incertezas que Setsuna Sakurazaki não poderia permitir se espalhar livremente, sem intervir.
"Chibi Setsuna, acho que você terá outra tarefa muito importante para cumprir hoje" foi o que a hanyou disse a si mesma naquele momento.
quarta-feira, 9 de outubro de 2013
Posted by LKMazaki

Translate to your language:

Seguidores

Parceiros

Parceiros | Yuri

Kiyoteru Fansub
Gokigenyou
Moonlight Flowers
S2 Yuri
Yuri Licious
Yuri Private
Yuri Zone

Parceiros | Blogs e Sites

Anikenkai
Chuva de Nanquim
Elfen Lied Brasil
Gyabbo!
Jwave
MangaBa
Mithril
Mundo Mazaki
nbm² - Nobumami
Netoin!
Shoujismo
Você Sabia Anime?

Arquivo do Blog

Popular Post

- Copyright © | Kono - Ai - Setsu | - fonte para yuri, shoujo-ai e girls love desde 2007 -Metrominimalist- Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -